Criei esse espaço a fim de divulgar o trabalho que realizo no Ministério Infantil, a minha grande paixão.
Espero que possa ser um canal de comunicação entre diversos educadores cristãos, onde poderemos compartilhar Idéias e sugestões para a realização de um trabalho de qualidade com nossas crianças.
Faço minhas as palavras de Charles Spurgeon: "Que nenhum homem despreze as crianças ou pense que são insignificantes. Eu reivindico o lugar da frente para elas. Elas são o futuro do mundo. O passado já se foi e não podemos alterá-lo. Até mesmo o presente já se foi à medida que o vivemos. Nossa esperança está no futuro; portanto abra espaço para as crianças, abra caminho para os meninos e meninas"

domingo, 22 de abril de 2012

Pregação na Assembléia de Deus do Recreio 21/04/2012

 Tema: Sadraque, Mesaque e Abnego na fornalha
Texto para memorizar: " 2 Tm 3: 14"



























sexta-feira, 20 de abril de 2012

Cartões para o dia das mães


Colorir/pintar, colar e dobrar!
Esse tem que dobrar nas linhas pontilhadas!
Colorir/pintar, colar e dobrar!
Colorir/pintar, colar e dobrar!
O suporte pode ser colocado em um daqueles vasinhos pequenos, e se essa flor for feita de EVA fica mais linda ainda!
Colorir/pintar, colar e dobrar!
Colorir/pintar, colar e dobrar!
Colorir/pintar, colar e dobrar!

caixinhas para o dia das mães



Galinha porta pano de Prato

Porta recados

Porta guardanapo

Fonte: Pedagogia e Serviço Social

Abertura da Cantata de Páscoa - Carpinteiro



Participação: Jóias de Cristo e Coreografia Cades

domingo, 15 de abril de 2012

Cartões para o Dia das Mães...




























































Dobradura para dia das mães
Segue um modelo de dobradura para o DIA DAS MÃES.








mães que exemplo elas deixaram?.

Adaptado de “O evangelista de Crianças” – APEC, ano XXXIII, nº 127
Personagens: 5 crianças ou adolescentes, se possível, com trajes típicos.
1. SALOMÃO ( com um manto e coroa) 
Meu nome é Salomão e sou filho de Bate-Seba. Meu pai, o rei Davi, já era idoso quando meu irmão Adonias, resolveu tomar-lhe o trono. Quando Adonias, traiçoeiramente, assumiu o poder, o profeta Natã, meu tutor espiritual, procurou minha mãe. Juntos, combinaram defender meus direitos de herdar o trono. Ela ouviu com atenção os conselhos e orientações do profeta e colocou-os imediatamente em prática. Deu tudo certo e eu fui ungido legalmente rei de Israel pelos oficiais do meu pai. 
Bate-Seba, minha mãe, deixou-me o exemplo de obediência a direção divina, seguindo os conselhos da pessoa certa – Natã, o profeta de Deus.
2. JACÓ (com uma panela de barro e uma colher de pau)
Minha mãe era linda, trabalhadora, destemida. Meu pai a amava muito e viviam felizes, mas ela era estéril. Meu pai orou por ela durante muito tempo. E então, nascemos, eu e Esaú. Daí em diante as coisas começaram a mudar nosso lar. À medida que crescíamos era visível o amor que meu pai tinha por Esaú e minha mãe por mim. Nosso lar estava dividido. Minha mãe, sem consultar Deus, tomou as suas próprias iniciativas. Incitou-me a me disfarçar e enganar meu pai, já quase cego, para alcançar a benção especial que ele prometeu dar a Esaú. Conseguimos o que queríamos, mas pagamos caro pelos erros cometidos. Tive que fugir de casa e separei-me para sempre de minha querida mãe. Sofri muito até aprender a fazer as coisas do modo do Senhor e não do meu.
Minha mãe me deixou um triste exemplo: usou de engano e mentiras para alcançar seus objetivos.
3. O filho da sunamita (com cesto de espigas de milho)
Não sou conhecido pelo meu nome e nem minha mãe. Ela é chamada de “a sunamita” porque vivia na cidade de Suném. Minha mãe era mulher rica, temente a Deus e hospitaleira. O profeta Eliseu foi convidado a fazer as refeições em nossa casa, toda vez que visitava Suném. Por sugestão de minha mãe, meu pai construiu um quarto de hóspedes especialmente para ele. O profeta então quis demonstrar sua gratidão e, depois de muito investigar, descobriu que a única coisa que faltava a minha mãe, era um filho. Ele a chamou e disse que ela iria ser mãe e foi assim que eu nasci para alegria completa do meu lar. Um dia, porém, ainda menino, quando estava no campo com meu pai, tive uma insolação e morri. Apesar da profunda dor que sentiu, minha mãe não perdeu a calma. Deitou-me na cama do profeta e foi procurá-lo. De longe o profeta avistou-a, mas foi somente ao chegar aos pés do homem de Deus é que ela abriu seu coração. Insistiu que ele fosse a sua casa. O profeta foi e pelo poder de Deus tive vida novamente.
O maior exemplo que minha mãe me deixou foi o de uma mulher que tem a paz de Deus no coração.
4. A filha de Herodias (vestida com roupas orientais, de dança)
Minha mãe pertenceu à alta nobreza da Galiléia. Chamava-se Herodias e era neta de Herodes o Grande. Ela abandonou meu pai para viver com meu tio, o rei Herodes Antipas. O pregador João Batista, por várias vezes chamou a atenção do rei para o fato de que estava pecando por viver com a esposa do irmão. Minha mãe, por isso, passou a odiar o pregador. Ela e o rei esperavam uma ocasião para se vingar dele. Um dia houve uma grande festa na corte. Fui convidada para dançar e agradei muito, tanto ao rei como aos seus convidados. Herodes, entusiasmado, prometeu me dar o que eu quisesse – até metade do seu reino. Fui perguntar a minha mãe o que deveria pedir e fiz justamente o que ela me sugeriu. Pedi ao rei que me levassem, sem demora, a cabeça de João Batista. O rei mandou decapitar o profeta e eu entreguei a minha mãe aquele impressionante e estranho presente. 
Tudo que posso guardar de minha mãe é a triste lembrança de uma mulher que viveu em adultério, ódio e vingança
5. Timóteo (com rolos/pergaminhos)
Meu nome é Timóteo. Sou filho de Eunice e neto de Loide, duas cristãs extraordinárias. Passei minha infância ouvindo das duas, as histórias dos heróis do Velho Testamento. Decorei muitos textos da Lei de Moisés, dos Salmos e dos profetas. Quando ouvi a respeito do Senhor Jesus, aceitei-O como meu salvador. Pude dar bom testemunho a todos que me conheceram. E quando o apóstolo Paulo chegou a cidade e me convidou para acompanhá-lo em suas viagens missionárias, eu tinha todas as condições para ir com ele.
Minha mãe foi a força que me impulsionou para o ministério pastoral. Ela foi para mim o exemplo de amor e fidelidade a Palavra de Deus. Tenho na minha mãe o exemplo da mulher que tinha missões no coração.
TODOS: E você mãe do século XXI, que influência está exercendo sobre seus filhos? Que exemplo vai deixar para eles? Pense seriamente sobre isso

Presente para mamãe - Bloco de anotações

Este bloquinho de anotações com flores de e.v.a é muito simples de fazer.

Material necessário:

• E.V.A com glitter de 2,5 mm (nas cores laranja e amarelo); 
• Retalhos de e.v.a de 2,5 mm; 
• Caneta para retroprojetor (ponta fina);
• Tinta squizz alto-relevo na cor rosa-fluorescente; 
• Olhos articulados;
• vazador n°16 e 5; 
• Cola de contato; 
• Palito de dente;
• Lápis; 
• Tesoura.

Execução:

1. Para a frente e verso da capa do bloco, corte o e.v.a laranja em dois retângulos de 10 x 7,5 cm;
2. Para montar o bloco, corte o sulfite no mesmo tamanho da capa, totalizando 100 folhas, colar ou encadernar, ou ainda, comprar bloquinhos prontos e apenas decorar;
3. Transfira e corte as flores no e.v.a amarelo (corte uma grande e três pequenas);
4. No retalho de e.v.a use o vazador nº16 para cortar o miolo da flor maior;
5. Em seguida, abra o miolo da flor grande como o mesmo vazador;
6. Insira o miolo na flor e espalhe a cola de contato ao redor (procure usar pouca quantidade);
7. Após colar a flor na capa do bloco, fixe os olhos articulados com a cola de contato. Use o palito de dente para facilitar o trabalho. Com a caneta para retroprojetor, desenhe o nariz e a boca;
8. Pinte toda a volta da pétala com a tinta squizz;
9. Corte o miolo e insira-o nas flores pequenas da mesma maneira feita com a flor grande. 
Cole-as no bloco e decore com a tinta squizz.

Extraído:sonholilas

Nossa mães por elas mesmas

Num programa de entrevistas, as personalidades entrevistadas hoje são mães, veja quem são elas;
Maria (mãe de Jesus, esposa de José); Joquebede (mãe de Moisés, esposa de Anrão); Ana (mãe de Samuel, esposa de Elcana); Sara (mãe de Isaque, esposa de Abraão).

PERSONAGENS:

Apresentador(a) - (desinibido(a) e trajando esporte chique);
Maria - (mãe de Jesus, esposa de José, trajada com figurinos da época);
Joquebede - (mãe de Moisés, esposa de Anrão, trajada com figurinos da época);
Ana - (mãe de Samuel, esposa de Elcana, trajada com figurinos da época);
Sara - (mãe de Isaque, esposa de Abraão, trajada com figurinos da época).
Cenário: Alguma coisa estilo programa de entrevistas, uma mesa e uma cadeira para o apresentador e um banco extenso sem mesa para as entrevistadas.

Enredo:

Apresentador: (chega ao palco com uma ficha estilo programa televisivo e um microfone) - Boa Noite! Nesta noite especial de dia das mães iremos entrevistar quatro mães muito amadas por nós, verdadeiros exemplos de vida. Queremos chamar nossa primeira mãe, Sara! Esposa de Abraão, mãe de Isaque! (Anunciada, ela entra, pega um microfone ou entra com um, cumprimenta o apresentador e os dois se assentam em seus respectivos lugares).
Sara: Boa noite igreja! É uma honra estar aqui!
Apresentador: É uma alegria recebê-la! Muito bem Sara, gostaríamos de saber sobre sua vida materna, então nos diga, quantos anos você tinha quando seu filho nasceu?
Sara: Cerca de noventa anos! E meu marido, Abraão, com 100 anos.
Apresentador: Mas como uma mulher de noventa anos pode engravidar de um homem de cem anos e dar a luz a um filho?
Sara: Sabe, me fiz essa pergunta várias vezes, quando Deus me deu essa promessa, de um filho na velhice. Eu duvidei, cheguei a rir e a negar que dei risada.
Apresentador: Mas... mesmo assim, esperou u comprimento da promessa de Deus?
Sara: Não, assim como meu marido, eu não acreditei e achei muito inviável. Meu marido até pensou em outro plano, adotar Eliezér, mas Deus mostrou-nos que seria um filho de sangue. Eu fiquei muito preocupada, acreditava que eu era o empecilho entre Abraão e a promessa, me senti péssima por já não ter idade para engravidar, então eu pedi para que meu marido tivesse um filho com nossa serva Agar, daí nasceu Ismael.
Apresentador: Então, este era o filho da promessa...
Sara: Não, Deus nos falou que sempre iria se lembrar de Ismael, tanto que o fez pai de uma grande nação, mas a promessa era com um filho do meu ventre e da semente de Abraão. Até que num belo dia, engravidei e dei a luz à Isaque em plenos noventa anos!

Apresentador: Que lindo! Que honra receber um milagre deste!

Sara: A maior honra que eu poderia ter! Mesmo não aguardando a promessa de Deus, e até ter duvidado dEle, Ele me fez a mãe de muitas nações. E colocou o nome do meu filho de Isaque justamente porque significa risada, para nunca esquecer de que um dia duvidei da promessa dEle e que ela havia se cumprido. Aprendi a exercitar minha fé naquilo que creio.

Apresentador: Glória a Deus por sua vida e muito obrigado Sara! Agora gostaríamos de chamar nossa próxima mãe, Joquebede, mãe de Moisés, esposa de Anrão! (ele se levanta e recebe Joquebede como fez com a primeira mãe)

Joquebede: Boa noite igreja!

Apresentador: É uma alegria recebê-la!

Joquebede: É uma honra saber que querem conhecer mais da minha vida!

Apresentador: Pois então Joquebede, quais foram seus filhos?

Joquebede: Eu tive Miriã, Moisés e Arão. Miriã a mais velha.

Apresentador: Três crianças então... Foi uma época boa para criar seus filhos?

Joquebede: Não foi nada bom! Quase mataram Moisés quando ele nasceu. Faraó tinha medo que ficássemos numerosos e dominássemos os egípcios, então se ordenou às parteiras que matassem todas os bebês do sexo masculino. Mas, as parteiras não cumpriram esta ordem e disseram que tínhamos nossos filhos sozinhas, sem a ajuda delas. Então Faraó se enfureceu e colocou seu exército nas ruas para matar nossos filhos.

Apresentador: Que coisa! E você disse que “quase” mataram Moisés, e como ele escapou?

Joquebede: Eu e minha filha Miriã recebemos uma grande ajuda de Deus neste momento, montamos uma cesta fechada com betume e colocamos Moisés nela e a cesta colocamos no rio Nilo. Miriã o seguiu até ele parar, parou bem na mão do inimigo, junto com a filha do Faraó!

Apresentador:
 Puxa que sofrimento deve ter sido?

Joquebede: Pelo contrário, ali foi realizado o grande milagre de Deus! Ela o pegou para criar, e o mais incrível, precisava de uma serva para cuidar do menino, Miriã ofereceu a minha pessoa e passei a criá-lo no palácio de Faraó.

Apresentador: Que incrível, que bênção!

Joquebede: E das grandes! Deus teve muita misericórdia de mim e do meu filho. Me capacitou a bolar todo um plano de como salvar meu filho e não permitiu que eu me afastasse dele. Guardou de forma incrível a vida do meu filho enquanto flutuava no rio Nilo. E depois ele se tornou o homem usado por Deus para salvar nosso povo do Egito, não poderia querer coisa melhor para o meu filho!

Apresentador: Realmente vemos a bênção que você foi para todos nós! Parabéns! Agora chamaremos nossa próxima mãe, Ana! Mãe de Samuel e esposa de Elcana! 

Ana: Boa noite igreja!

Apresentador: Ficamos muito alegres em contar com você hoje!

Ana: Também fico imensamente feliz!

Apresentador: Então Ana, você teve um filho, Samuel, qual foi a sua emoção no nascimento de Samuel?

Ana: Foi uma alegria, uma sensação de conquista e gratidão muito grande! Foi muito importante a forma como Deus me deu Samuel.

Apresentador: E o que houve de especial?

Ana:
 Eu era estéril.

Apresentador: Hã? Como? Como você teve um filho sendo estéril?

Ana: Meu marido tinha duas esposas, Penina e eu. Penina era fértil, já havia dado filhos a Elcana, mas eu não conseguia. Ele me amava, me dava a melhor parte do sacrifício, porém Penina, acredito que tinha inveja desse amor.

Apresentador: Por quê?

Ana: Sempre que podia, Penina me agredia verbalmente e contava vantagem porque tinha filhos e eu ficava muito triste, chorava e ficava até sem comer. Meu amado sempre me consolava dizendo “não sou melhor que dez filhos?”, e era verdade, mas eu não aguentava mais os ataques de Penina contra mim e a incapacidade de dar filhos para aquele que eu amo.

Apresentador: Sinto muito... Não sei como é, mas deve ser muito difícil...

Ana: Você não imagina o quanto! Diante desta situação, fiz um voto a Deus, que se me desse um filho, não passaria navalha nenhuma sobre sua cabeça e o entregaria totalmente ao Senhor. Durante a oração acharam até que eu tava bêbada, por que quando orava movia meus lábios, mas não falava nada. Falava para Deus.
Apresentador: Puxa... E assim você teve um filho?

Ana: Sim, tive um filho que chamei de Samuel justamente por que Deus ouviu minha oração. Glorifiquei muito ao Senhor por essa graça, além de Penina ter parado de me chatear, honrei o meu amado, e meu filho foi uma bênção.

Apresentador: Ficamos muito felizes por isso Ana! Que mãe abençoada é você! 
Pois bem, agora chamamos nossa última, porém não menos importante mãe: Maria, mãe do nosso Senhor Jesus e esposa de José! 

Maria: Boa Noite igreja!

Apresentador: Boa Noite Maria! Estamos ansiosos para de saber como foi sua vida de mãe, então vamos começar, a quanto tempo você estava casada com José quando teve seu primeiro filho?

Maria: Ainda não estava casada, estava noiva apenas.
Apresentador: Como? Não entendo... Você não deveria ser virgem até então?

Maria: Eu era!

Apresentador: Ta legal, Sara quase centenária teve um filho, Joquebede teve um filho e o salvou de uma chacina jogando-o no rio, Ana teve um filho sendo estéril, agora você concebeu virgem?

Maria: Sim!

Apresentador: Desculpe-me, mas não consigo entender... Como pode uma mulher engravidar sendo virgem?

Maria: Bem... Eu também não sei... Mas o profeta Isaías já havia dito que a virgem conceberia, e daria a luz a um filho, e esse filho seria o Messias.

Apresentador: E você foi a eleita?

Maria: Sim!! Deus me enviou o anjo Gabriel que me anunciou o nascimento de Jesus através de mim, que seria meu filho e eu o conceberia virgem.

Apresentador: Você era noiva, casamento marcado, de família boa e aceitou ficar grávida do Espírito Santo, correndo o risco até de ser morta apedrejada?

Maria: Eu aceitei porque sabia que o plano de Deus não era que eu morresse apedrejada, ou que meu casamento se tornasse ruínas. Aceitei sua vontade porque confiei nEle. E Ele foi fiel até o fim!!

Apresentador: Que lindo! Mas, e José? Você falou “amor, to grávida do Espírito Santo” e ele acreditou assim facilmente?

Maria: Não foi assim, Deus providenciou isso também. Um anjo apareceu a ele em sonho, explicando toda a situação, e José compreendeu e se tornou o marido perfeito! Foi discreto, me amou, se sentiu honrado. Deus fez uma obra maravilhosa no meu casamento!

Apresentador: Que bênção! E o Filho de Deus? Onde Ele nasceu? Deve ter sido em um casarão maravilhoso!!

Maria: Também não... Ele veio para se esvaziar de sua glória e se tornar homem, para pagar nossos pecados e nos comprar com sangue. Ele não tinha formosura alguma, nem teve grandes privilégios na infância... Ele nasceu em uma estrebaria, local onde ficam os animais, completamente sem luxo, num local não muito cheiroso, muito simples... Mas foi a maior honra da minha vida!

Apresentador: E como foi criar o Filho de Deus?

Maria: Uma tarefa maravilhosa em todos os sentidos. Tivemos um tremendo incomodo, pois Herodes soube que “um novo rei estava para chegar” através dos Magos do Oriente que se guiaram através de uma estrela, então temendo por seu trono, Herodes mandou matar todas as crianças até dois anos. Para nos proteger, um anjo apareceu em sonho para José dizendo para irmos para o Egito e só retornamos quando Herodes morreu.

Apresentador: E como foi Jesus quando criança?

Maria: Nem tenho o que dizer, tinha um ótimo comportamento. Ele não pecou nunca, isto é, nunca respondeu, nem desobedeceu... Filho melhor nunca houve... A única vez que me preocupou, foi um dia quando a gente voltava da páscoa, pois achamos que Jesus estava junto conosco, mas não tava! Perdemos Jesus, Ele ficou em Jerusalém! As mães que já perderam filhos em lugares públicos sabem como é, você se sente como uma completa incompetente, imagine o meu caso então irmãs, era meu filho, filho de Deus e a esperança para o mundo, e eu o deixo sumir daquele jeito! Eu fiquei desesperada, procurei na casa de todos os meus parentes de Jerusalém, mas nenhum estava com Ele, até que o encontramos no templo conversando com doutores. Ah! Eu estava acabada, quando o encontrei perguntei porque Ele havia feito aquilo, Ele falou que estava resolvendo negócios de Seu Pai!! Tirando esse episódio, que eu fiquei bem nervosa, sua infância foi muito tranquila!
Apresentador: Mas Jesus tinha uma missão extremamente árdua aqui conosco, como você reagia sabendo o que Jesus iria passar?
Maria: Como eu já disse antes, é uma honra e uma alegria imensamente grande ser a mãe do filho legítimo de Deus. Havia, porém, um lado muito triste, meu filho seria traído, torturado e crucificado. Foi muito sofrido ver tudo aquilo! Eu o amava muito, apenas quem é mãe sabe o que é um amor de mãe, tentem imaginar como eu estava... A única coisa que me consolava era saber que agora o mundo estava sendo salvo... Não tive dor maior na minha vida do que ver meu filho amado ser crucificado... Mas Deus estava me consolando desde o começo, e Ele foi tão incrível que nos deu a oportunidade de ficar mais quarenta dias com Jesus! Sempre fui grata por essa honra que Deus me concedeu!
Apresentador: Realmente Maria, seu testemunho é muito lindo! Agora gostaríamos que cada uma das mães que estão aqui conosco se levantassem e dirigissem uma palavra para as mães da igreja!

Sara: Mães, vocês são verdadeiras princesas diante de Deus! Ele tem planos maravilhosos para vocês, basta exercerem a fé! Nunca tentem modificar o plano de Deus, apenas confiem nEle! Nunca é tarde para nada quando é da vontade de Deus! Eu tive filho com noventa anos! Feliz dia das mães e sempre se lembrem do que Deus fez na minha vida e pode coisas maiores na sua também!

Joquebede: Mães, só vocês sabem os problemas e tribulações que uma mãe passa. Só vocês sabem a intensidade de um amor materno. Muitas vezes, apenas pelo fato de serem mães sofreram muito, por isso confiem em Deus. Ele sempre guardará o seu filho e nunca esquecerá de você. Deus guardou o meu filho dentro de um cesto flutuando no Rio Nilo, guardará o seu também! Feliz dia das mães e não esqueçam da maneira que Deus salvou e guardou minha família!

Ana: Mães, vocês são postas a prova dia após dia! Permaneçam edificando sua casa, honrando seu marido, mesmo quando recebem palavras rudes de pessoas más. Sempre sejam mansas, calmas e aguardem a justiça de Deus. Ele nos ama e nos quer bem. Deus me fez ter um filho mesmo sendo estéril! Ouviu a minha oração e ouve a sua também, portanto ore com fé! Mesmo que as outras pessoas pensem mal de você por confiar em Deus, pois Ele te honrará! Feliz dia das mães e mantenha o meu testemunho em sua mente.

Maria: Mães, muitas vezes os planos de Deus são imprevisíveis e nunca sabemos o que pode acontecer conosco se aceitarmos, mas saibam que os planos do altíssimo sempre são os melhores para a nossa vida! Saibam abrir mão das suas coisas para Deus! 
Mãe, Deus a elegeu para ter uma alegria incomparável: ter e educar filhos! Por isso vocês são tão amadas, valorizadas e respeitadas! 

Feliz dia das mães e nunca se esqueçam da sua eleição, pois ser mãe deve ser um ministério.
Fonte SITE que não está mais na WEB 
Publicado em Teatro Cristão - (http://www.teatrocristao.net)

Programação: Mamãe eu gosto de você

Abertura:
 
Dois locutores: (Adolescentes)
 
A: É com muita satisfação que estendemos a todos os presentes, em especial, às nossas queridas mães, o nosso cordial boa noite!
B: Este é um dia especial. Um dia de festa, alegria e gratidão. É o dia para celebrar e homenagear àquela que sempre nos faz sorrir, sonhar e nos faz melhor do que somos... Nossa MÃE!
A: Se temos conta com: o médico, o supermercado, o pedreiro, o cartão de crédito e outros serviços, eles, habitualmente, nos enviam a conta cada fim de mês, e se os pagamentos não forem periodicamente quitados, provavelmente pagaremos juros ou teremos o crédito suspenso...
B: Quem de nós já recebeu uma conta de nossa mãe pelos seus serviços prestados?
A: Ninguém recebeu, nem receberá, por que nossa mãe não mantém anotado nenhum débito contra nós, nem traz a lembrança de nossa grande dívida para com ela.
B: Talvez seja esta uma das razões porque nos esquecemos do quanto realmente lhe somos devedores. Isso explica porque, muitos de nós, não temos consciência de quão grande é a nossa dívida.
A: Nessa noite, não temos a pretensão de lhe pagar, mamãe, por tudo quanto você fez e faz por nós. Queremos apenas trazer-lhe uma oferta de amor e carinho, demonstrando assim, o que você representa e vale em nossa vida!
 
Entram 2 crianças do Maternal ou do Jardim
(Cada criança recita carregando um cartaz formando a frase BOAS VINDAS. Pode ser feita uma variação, usando 10 crianças, com uma letra para cada uma. Neste caso, cada uma falará uma frase, segurando a letra correspondente)
 
1- Bem vinda és, mamãe querida!
    O dia hoje é todo teu!
    A ti devemos a nossa vida,
    Supremo dom que vem do céu!
 
2- Vem receber nossa homenagem
     Inda que seja fraca imagem
     Na tela imensa do teu amor
     Damos-te pois, ó mãe amada,
     A homenagem mui esperada
     Sinceramente o nosso amor
 
Música comemorativa escolhida pela direção
 
POESIA: Minha Mãe
(Esta poesia abaixo pode ser declamada ou apresentada em forma de jogral pelos adolescentes. Deve ser bem ensaiada para ficar bem bonita e compreensível):
 
1. Você foi aquela cujo coração pulsou de amor por mim antes mesmo que eu nascesse.
2. Você foi quem me apresentou as melhores companhias: o Riso, o Canto, o Adormecer e o Amor.
3. Você dirigiu os meus primeiros passos,
2. E me ajudou a levantar quando eu caía, me encorajando a pisar firme neste mundo de más inclinações.
1. Você me enxugou as lágrimas,
3. E, quantas vezes,  beijou os meus machucados para que eu parasse de sentir dor!
2. Confortou-me em todas as minhas tristezas e acalmou-me nas horas de medo e temor.
Todos: Você me ensinou a sorrir e a cantar!
1. Você me ensinou a ver:
3. O significado da bondade,
2. E me ensinou também a perceber como o amor transforma pequeninas coisas em maravilhas jamais sonhadas.
1 e 3: Você me ensinou a ver:
2. Quão sublime é o esplendor da fé que repousa na religião verdadeira, iluminando assim o meu caminho e de todos os teus filhos.
3. Você me ensinou a ver:
1. Quão sublime é um rosto quando este está voltado para Deus.
2. Você me ensinou a orar,
3. E me inspirou de tal modo que pude elevar o meu olhar, tirando-o da Terra e erguendo-o até o Céu.
1. Você é tão meiga!
3. Você é tão gentil!
2. Você é amorosa!
Todos: Jamais poderei retribuir-lhe o bem que me fez.
3. Este é o seu dia!
1. Obrigado por tudo!
2. Desculpe-me por tudo.
Todos: Quem é você?
Todos: Você é a Minha Mãe!!!
 
Música comemorativa escolhida pela direção
 
TEATRO
 
A MÃE SÁBIA EDIFICA
 
 
 
I CENA – (Duas mães com bebês no colo conversando)
 
Narrador: Elas sonham com o presente. Na alegria de seu coração elas cantam com os lábios cheios de amor e carinho. Com este canto de amor e paz, o lar se enche de harmonia. Quem será a mais feliz?
 
Mãe Sábia: Ah! É como é bom ter um filhinho! Vou orientá-lo como jóia de alto valor. Eu estarei sempre ao seu lado, mostrando-lhe os perigos e alegrias da vida.
 
Mãe Imprudente: Eu quero para meu filho todas as riquezas do mundo. Ensiná-lo-ei a receber aplausos da humanidade, a subir alto e a ser o astro da família.
 
Narrador: Quem será mais feliz? A mãe sábia, que irá dar ao bebê conhecimento da vida ou a mãe imprudente que irá ensiná-lo a receber glórias e riquezas?
 
II CENA – (Duas mães com crianças do Maternal)
 
Mãe Sábia: (Folheando um livro com o seu filho)
Está vendo este bichinho? Foi Deus quem o fez. Deus fez todos os animais, o mundo, a mamãe, o papai e você!. Como Deus é bonzinho! Vamos ver mais alguns bichinhos e depois você me diz qual é o que você gosta mais.
 
Mãe Imprudente: (Fazendo as unhas, enquanto o filho folheia uma revista)
-Filho, já brincou bastante? Quer olhar outra revista? Hoje não tenho tempo para ensinar para você coisa alguma. Vou sair com seu pai e devo me apressar. Vou procurar uma babá para você. Vamos, tenho de ir à casa de uma amiga e depois pegar meu vestido novo na costureira! Hoje você tem que ir para a cama cedo! Está bem?!
 
Narrador – As plantinhas do jardim da vida destas mães cresceram normalmente. Uma, porém, dá ao seu filho não só lições de vida, mas principalmente, dedica-lhe o tempo que dispõe com paciência e amor, para desenvolvê-lo em todos os aspectos.
 
III CENA – (As duas mães lavando roupas ou arrumando a casa. Crianças da Pré-escola)
 
Mãe Sábia: Quanto trabalho por fazer! Devo me apressar, caso contrário, não conseguirei terminar o almoço, e logo meus filhos chegarão com muita fome! Como fico feliz ao vê-los entrar em casa, suados e alegres depois de uma boa manhã de aulas!
Sinto-me alegre também porque sou forte, saudável e apesar do cansaço, ser mãe é tão bom! Graças a Deus porque posso fazer o melhor por minha família!
(Os filhos chegam da escola e vêm correndo abraçá-la, depois de algum tempo saem e ela faz gestos de quem cozinha o almoço)
 
Mãe Imprudente: Sempre eu! Tudo eu! Não aguento mais! Todo dia é a mesma coisa: lavar, passar, limpar, cozinhar...Que chatice! Que cansaço! Lá fora o dia está lindo! Eu bem que poderia estar na praia ou no Shopping! Preciso urgente de uma empregada porque para mim não dá mais! (Olha o relógio) Ah, não! E essas crianças vão chegar já, já! Eu acabei de limpar, eles vão é sujar e bagunçar tudo de novo!
(Os filhos chegam gritando, largando suas coisas e nem olham para a mãe, que faz gestos de ameaça e ira)
 
Narrador – Enquanto os braços da mãe imprudente trabalham, seus pensamentos enchem-se de amargura e ela só vê tristeza ao seu redor. Seus olhos estão cegos para a beleza da vida e para aquilo de bom que poderia ser para a sua família.           
A mãe sábia, porém, bendiz suas mãos fortes que tanto podem fazer pelos seus filhos. Toma tempo a cada dia para orar e estar com Deus. Apesar da correria, sabe o que é mais importante. Seus lábios cantam enquanto trabalha. Sabe que sua missão é a mais sublime de todas, pois está cuidando da herança do Senhor!
 
IV CENA –  (Mãe sábia rodeada de 3 crianças: uma com vassoura, uma lavando a louça e a outra tirando o pó. Podem ser crianças dos Primários e Juniores)
 
Mãe Sábia: Meus filhos, cada um tem o seu dever e precisa fazê-lo da melhor maneira. Como me sinto feliz ao vê-los querendo aprender para serem meus bons ajudantes!
Um Filho: Obrigado, mamãe. Gostamos muito de ajudar você. Assim, terminaremos tudo num instante, e depois poderemos ir brincar. Então, a senhora poderá descansar um pouco.
 
Mãe Imprudente: (Está arrumando a casa sozinha e seus filhos olham de longe, indiferentes a seus apelos).
 
Venham me ajudar! Estou tão cansada! Será que não percebem que não agüento fazer tudo sozinha?
 
Filha Maior: Ah não, mãe! Nós tivemos muitas aulas hoje, não queremos fazer mais nada. Afinal, não é só esse o seu trabalho aqui em casa? Deixe a gente descansar! 
(A filha menor pega a vassoura para ajudar, mas logo sai correndo, assustada, quando a mãe começa a reclamar)
 
Mãe Imprudente: (Brava) – Está bem! Vão descansar! Mesmo porque vocês não sabem fazer nada direito e eu vou demorar mais ainda. Vão, vão brincar!
 
Narrador: Todos os filhos gostam de ajudar. Sentem-se felizes ao poder tomar parte dos afazeres de sua mãe e receber dela palavras bondosas de elogio e agradecimento. Eles, os filhos, precisam de amor e estímulo para desenvolver o senso de ajuda e participação no trabalho em família.
Muitas vezes os filhos são criticados pelas menores falhas. A mãe imprudente se zanga facilmente e logo os repreende. Ela se esquece de que ninguém nasce sabendo, que eles precisam aprender aos poucos. Assim, se esquece também de fazê-los dividir seu tempo entre trabalho, escola e lazer, para que possam usufruir da união gostosa, que deve haver entre pais e filhos.
 
V CENA - (Mãe imprudente com a filha adolescente ou jovem toda mal vestida e relaxada, arrogante. Ela chorando:)
 
Mãe Imprudente: Filha, o que foi que aconteceu com você? Por onde você andou? Por que nos abandonou sem nenhuma explicação? Volte para casa, filha, e fique conosco!
 
Filha: (Com bastante entonação na voz: raiva, dor, tristeza)
- Não, mãe! Foi você que me abandonou! Desde pequenina fui deixada de lado, trocada ás vezes pela tv, pelos seus amigos, pelo trabalho, pelos seus interesses! Não tive um guia que me mostrasse o caminho certo, que me ensinasse na vida prática os preceitos de Deus. Caí e nem sei como me levantar. Andei por caminhos tenebrosos. Sei que sou fraca nas lutas e tentações e não tenho fé para me erguer, me sustentar. A minha vida não tem sentido e nem alegria, acho que não tenho nenhum valor.
 
Narrador: Esta moça deveria ser a alegria e realização de sua mãe, mas é apenas o seu grande e imenso sofrimento.
 
IV CENA - (Mãe sábia está sentada com seu filho jovem ao lado. Os dois conversam animadamente).
 
Mãe Sábia: (Abraça ou segura nas mãos do filho)
- Filho, como você me faz feliz! Veja, já é um rapaz. Estuda, trabalha e sempre consegue tirar um tempinho para conversar comigo! Bom, valeram as minhas orações e todo o trabalho. Veja só este verso em minha Bíblia: “Ensina ao menino o caminho em que deve andar e até quando for velho, não se desviará dele.”
 
Filho – É, mãe! Quantas vezes eu a vi orando por mim e como me sentia feliz por isto! Você e papai me mostraram o rumo certo, o caminho de uma vida vitoriosa, pois me mostraram a Bíblia, sempre com muito amor e bondade. Você não sabe o quanto eu lhe sou agradecido por isto! Mãe, eu a amo cada vez mais!
 
Narrador: A mãe sábia é tão feliz! Seu filho não se perdeu, porque ela desde cedo, se preocupou em lhe mostrar o Caminho. Ajudou-o a encontrar a Jesus, o Amigo certo em todos os momentos da vida. Não foi fácil para esta mãe. Ela teve que trabalhar, orar, se esforçar cada dia. Mas hoje, seu filho segue alegre e feliz, agradecido por tudo que sua mãe lhe fez. Ela vive mais feliz ainda que ele e anseia logo estar no Lar Eternal para responder a Jesus: “ Aqui está, Senhor, os filhos que a mim confiou!”
 
(OBS.: Não esqueça de colocar um fundo musical em cada uma das cenas)
 
Encerramento: TEMPO DE HOMENAGEAR
Sim, amigos e irmãos, poucas influências são tão duradouras como a influência de um lar cristão, onde reina o amor, onde as várias gerações são unidas pela fé de uma mãe temente a Deus.
Alegrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a quem te deu a luz. Prov. 22:22 e 25
 
Façamos nossa a oração de um autor desconhecido: (Música de fundo) “Ó Deus, louvamos-Te e agrademos-Te pelo ministério da doce maternidade na vida humana. Damos-Te graças por nossas queridas mães que edificaram nossas vidas pelas suas; que nos trouxeram à existência e nos amaram antes mesmo do nosso nascimento. Nos amamentaram e nos abrigaram na segurança de seus braços. Damos-Te graças por seu incansável amor, por suas orações constantes, pela agonia com a qual nos acompanharam em meio às nossas aflições e nos receberam outra vez depois de andarmos errantes. Perdoa-nos se temos abusado desse amor sem devolver-lhes a ternura e o sorriso que pediam como únicas recompensas. E se ainda temos o precioso tesouro de uma mãe, permite-nos ajudá-la em sua debilidade, como elas o fizeram conosco. Amém.”
 
Música Especial –
 
Oração Final

Fonte:DIJAP